domingo, 4 de julho de 2010

Cultura dói

Durante os dias de folga, fui visitar alguns museus e alguns pontos turísticos da cidade.
Fui aos museus Reina Sofia e do Prado, onde este último realmente foi o que mais me encantou. As obras de Goya e Velasques, sem dúvida são impressionantes e até leigos, como eu, podem entender a grandiosidade das obras. Dica: comprei uns livrinhos de cada artista a 1 euro, que valeram muito. Assim pude apreciar as principais obras e fingir muito bem ser um crítico da arte com as pessoas ao redor.
Também apreciei um pouco de Picasso, Miró e Dalí no museu Reina Sofia. Of course que eu tinha que dar uma gafe num lugar destes. Eu vi uma aglomeração em um quadro, e as pessoas com aquele ar intelectual ‘ooh’, ‘muy belo’ ... Então, me dirigi para lá e parei em frente ao quadro, coloquei a minha mão no queixo pra dar aquela pose intelectual e fiquei lá tentando entender o que era aquela composição e o que tanto as pessoas admiravam. Eu não vi nada de mais além de um monte de rabisco de tinta. Mas fiquei lá uns segundo a mais pra não parecer que não tinha entendido, né? Fui saindo de fininho, e dei minha ultima olhadinha do quadro só pra confirmar e noooossa, eu soltei um grito “Aiii siiim”... (que ecoou no salão - vergonha). Eu tinha entendido o quadro porque mudei de ângulo. Dava pra ver a silhueta de um homem, abraçando o que no meu entender era o mundo, mas na sua cabeça havia uma mulher, como que dominando ele. Sim, é complexo.
Enfim, o mais importante de tudo isso foi a lição do dia: Tudo é uma questão de perspectiva.

Nenhum comentário: